18 de jun de 2017

"CHAMOU OS DOZE E ENVIOU-OS" XIº DOMINGO DO TEMPO COMUM


"CHAMOU OS DOZE E ENVIOU-OS"
XIº DOMINGO DO TEMPO COMUM
ANO A | EVANGELHO DE JESUS CRISTO SEGUNDO MATEUS 9,36-10,8

Naquele tempo, 36vendo Jesus as multidões, compadeceu-se delas, porque estavam cansadas e abatidas, como ovelhas que não têm pastor. Então disse a seus discípulos: 37”A Messe é grande, mas os trabalhadores são poucos. 38Pedi pois ao dono da messe que envie trabalhadores para a sua colheita!” 10,1Jesus chamou os doze discípulos e deu-lhes poder para expulsarem os espíritos maus e para curarem todo tipo de doença e enfermidade. 2Estes são os nomes dos doze apóstolos: primeiro, Simão chamado Pedro, e André, seu irmão; Tiago, filho de Zebedeu, e seu Irmão João; 3Filipe e Bartolomeu; Tomé e Mateus, o cobrador de impostos; Tiago, filho de Alfeu, e Tadeu; 4Simão, o Zelota, e Judas Iscariotes, que foi o traidor de Jesus. 5Jesus enviou estes Doze, com as seguintes recomendações: “Não deveis ir aonde moram os pagãos, nem entrar nas cidades dos samaritanos! 6Ide, antes, às ovelhas perdidas da casa de Israel! Em vosso caminho, anunciai: ‘O Reino dos Céus está próximo’. 8Curai os doentes, ressuscitai os mortos, purificai os leprosos, expulsai os demônios. De graça recebestes, de graça deveis dar!”

— Palavra da Salvação.
— Glória a vós, Senhor.
Mais informações

14 de jun de 2017

PARÓQUIAS DE JUAZEIRO CELEBRAM FESTA DE CORPUS CHRISTI NESTA QUINTA (15)



Comemorada anualmente pela igreja católica, a festa de Corpus Christi é uma das celebrações mais esperadas pelos fiéis e nesta quinta-feira (15), a Paróquia Nossa Senhora das Grotas expõe o Santíssimo Sacramento, o corpo de Cristo presente entre o povo. 

A missa solene acontece às 19h seguida da tradicional procissão, que passará pelo tapete artístico, confeccionado pelas pastorais, grupos e movimentos.

As demais paróquias como Santo Antônio Nossa Senhora de Fátima, Alto da Aliança, Santa Terezinha, na Piranga e Santo Afonso, no bairro Castelo Branco, também enfeitam as ruas para a procissão. 

Na paróquia Santo Antônio às 17h, antes da missa, haverá catequese com o Bispo Diocesano - Dom Carlos Alberto (Dom Beto) sobre o significado da data. 

Os festejos de Corpus Christi acontecem em referência à Quinta-feira Santa que representa a última ceia de Jesus com seus apóstolos. Na última ceia, Jesus mandou que celebrassem em sua memória comendo o pão e bebendo o vinho que se transformam em seu Corpo e Sangue.

O vigário geral da Diocese de Juazeiro, Josemar Mota da Silva, explica que a festa de Corpus Christi é uma comemoração de louvor e gratidão a Deus pela presença de Jesus no Sacramento da Eucaristia.

“Celebrando a Eucaristia estamos cumprindo o pedido do Senhor: ‘Fazei isto em memória de mim’. E se realiza a promessa do Senhor na sua Igreja: ‘Eis que estarei convosco todos os dias até o fim dos tempos’ (Mt 28,20) “, concluiu Pe. Josemar.


Confira o horário de celebrações e procissões nas paróquias de Juazeiro:

São Cosme e Damião (Bairro Alagadiço) -  6h20min
Santo Antônio (Bairro Santo Antônio) - 18h
Catedral Santuário N. Sra. Grotas - 19h
Santo Afonso (Bairro Castelo Branco) - 19h
Santa Terezinha (Bairro Piranga) - 19h30min
Nossa Senhora de Fátima - (Bairro Alto da Aliança) - 19h30min
Nossa Senhora Aparecida - (Bairro João Paulo II) - 19h30min

Mais informações

2 de jun de 2017

A PÁSCOA DEFINITIVA O ZELOSO SACERDOTE, PADRE GUILHERME FITZ.



Na semana em que nos preparamos para celebrar a plenitude da Páscoa, o dom do Espírito Santo, realizou ontem sua Páscoa definitiva o zeloso sacerdote PADRE GUILHERME FITZ, depois de uma longa e dedicada vida (grande parte nestas terras sãofranciscanas) a serviço do Reino.

O Padre José Potter enviou-nos algumas preciosas informações sobre o Padre Guilherme:

Padre Guilherme, redentorista, era colega de ordenação de Dom Tomas Murphy, nosso primeiro bispo diocesano. Foram ordenados no dia 29 de junho de 1943. Chegou na Diocese de Juazeiro em junho de 1968, uma semana antes da celebração dos seus 25 anos de sacerdócio. Passou dois anos em Sento Sé com o Padre Bernardo Van Hoomisen, seu confrade redentorista. Em 1970 foi transferido para a atual Paróquia de Santo Afonso, então a comunidade de "Casas populares", parte da Paróquia da Catedral. Depois de uns anos foi confiado a ele o serviço pastoral de todo o interior da cidade de Juazeiro. 

Retornou aos Estados unidos em janeiro de 2010. Morreu na casa de idosos São Clemente, onde Dom Tomás está enterrado.

DESCANSE EM PAZ, PADRE GUILHERME FITZ!
Mais informações

31 de mai de 2017

PROCISSÃO LUMINOSA ENCERRA MÊS MARIANO NAS PARÓQUIAS: NOSSA SENHORA DAS GROTAS, SANTO ANTÔNIO E SÃO COSME E SÃO DAMIÃO.


Para marcar as comemorações do mês mariano, em Juazeiro, a Paróquia Nossa Senhora das Grotas realiza nesta quarta, 31 de maio, uma procissão luminosa.

A concentração será a partir das 18 horas, em frente a Paróquia Santo Antônio e a procissão seguirá rumo a Catedral Santuário, onde haverá missa presidida por Dom Carlos Alberto Breis Pereira.

Ao término da celebração, haverá a Coroação de Nossa Senhora, em um momento que faz parte dos festejos em preparação à Pentecostes, que acontece no próximo domingo, (4).
Mais informações

30 de mai de 2017

CATEDRAL SANTUÁRIO PREPARA SOLENE FESTA DE PENTECOSTES EM JUAZEIRO


As ruas do Centro de Juazeiro ficarão coloridas de vermelho e branco neste final de semana. Os católicos participarão da festa da unidade da Igreja, o Pentecostes, também chamada de Festa do Divino Espírito Santo.

Na Catedral Santuário Nossa Senhora das Grotas, os fiéis se preparam para a comemoração, com um Tríduo que começa nesta quinta-feira (1) e termina no sábado (3), sempre às 19h.

Segundo o vigário geral da Diocese de Juazeiro, Pe. Josemar Mota, a comunidade católica deseja levar os fieis a uma profunda reflexão da palavra de Deus como inspiração a seguindo o exemplo de Jesus que veio para servir e não para ser servido.

“A Bandeira do Divino Espírito Santo durante um ano percorre varias comunidades, ruas, visitando diversas famílias, é um momento de evangelização muito bonito em nossa cidade, pois a festa celebra o amor de Deus derramado em nossos corações. Por meio da força do Espírito Santo nos tornamos testemunhas de Jesus Ressuscitado”, disse.

O domingo, dia 04, será dia de Missa Solene pela manhã às 9h e procissão à tarde, como já é tradição, saindo da Avenida Edgard Chistinet, bairro São Geraldo, às 17h percorrendo várias ruas, até chegar ao santuário, onde será celebrada a última missa, presidida pelo Bispo Dom Carlos Alberto Breis Pereira (Dom Beto). 

PASCOM - Pastoral da Comunicação
Paróquia Nossa Senhora das Grotas - Catedral Santuário
Mais informações

28 de mai de 2017

MENSAGEM DO PAPA FRANCISCO PARA O 51ª DIA MUNDIAL DAS COMUNICAÇÕES SOCIAIS



Tema: «“Não tenhas medo, que Eu estou contigo” (Is 43, 5). 
Comunicar esperança e confiança, no nosso tempo»


Graças ao progresso tecnológico, o acesso aos meios de comunicação possibilita a muitas pessoas ter conhecimento quase instantâneo das notícias e divulgá-las de forma capilar. Estas notícias podem ser boas ou más, verdadeiras ou falsas. Já os nossos antigos pais na fé comparavam a mente humana à mó da azenha que, movida pela água, não se pode parar. Mas o moleiro encarregado da azenha tem possibilidades de decidir se quer moer, nela, trigo ou joio. A mente do homem está sempre em ação e não pode parar de «moer» o que recebe, mas cabe a nós decidir o material que lhe fornecemos (cf. Cassiano o Romano, Carta a Leôncio Igumeno).

Gostaria que esta mensagem pudesse chegar como um encorajamento a todos aqueles que diariamente, seja no âmbito profissional seja nas relações pessoais, «moem» tantas informações para oferecer um pão fragrante e bom a quantos se alimentam dos frutos da sua comunicação. A todos quero exortar a uma comunicação construtiva, que, rejeitando os preconceitos contra o outro, promova uma cultura do encontro por meio da qual se possa aprender a olhar, com convicta confiança, a realidade.

Creio que há necessidade de romper o círculo vicioso da angústia e deter a espiral do medo, resultante do hábito de se fixar a atenção nas «notícias más» (guerras, terrorismo, escândalos e todo o tipo de falimento nas vicissitudes humanas). Não se trata, naturalmente, de promover desinformação onde seja ignorado o drama do sofrimento, nem de cair num otimismo ingénuo que não se deixe tocar pelo escândalo do mal. Antes, pelo contrário, queria que todos procurássemos ultrapassar aquele sentimento de mau-humor e resignação que muitas vezes se apodera de nós, lançando-nos na apatia, gerando medos ou a impressão de não ser possível pôr limites ao mal. Aliás, num sistema comunicador onde vigora a lógica de que uma notícia boa não desperta a atenção, e por conseguinte não é uma notícia, e onde o drama do sofrimento e o mistério do mal facilmente são elevados a espetáculo, podemos ser tentados a anestesiar a consciência ou cair no desespero.

Gostaria, pois, de dar a minha contribuição para a busca dum estilo comunicador aberto e criativo, que não se prontifique a conceder papel de protagonista ao mal, mas procure evidenciar as possíveis soluções, inspirando uma abordagem propositiva e responsável nas pessoas a quem se comunica a notícia. A todos queria convidar a oferecer aos homens e mulheres do nosso tempo relatos permeados pela lógica da «boa notícia».

A boa notícia

A vida do homem não se reduz a uma crónica asséptica de eventos, mas é história, e uma história à espera de ser contada através da escolha duma chave interpretativa capaz de selecionar e reunir os dados mais importantes. Em si mesma, a realidade não tem um significado unívoco. Tudo depende do olhar com que a enxergamos, dos «óculos» que decidimos pôr para a ver: mudando as lentes, também a realidade aparece diversa. Então, qual poderia ser o ponto de partida bom para ler a realidade com os «óculos» certos?

Para nós, cristãos, os óculos adequados para decifrar a realidade só podem ser os da boa notícia: partir da Boa Notícia por excelência, ou seja, o «Evangelho de Jesus Cristo, Filho de Deus» (Mc 1, 1). É com estas palavras que o evangelista Marcos começa a sua narração: com o anúncio da «boa notícia», que tem a ver com Jesus; mas, mais do que uma informação sobre Jesus, a boa notícia é o próprio Jesus. Com efeito, ao ler as páginas do Evangelho, descobre-se que o título da obra corresponde ao seu conteúdo e, principalmente, que este conteúdo é a própria pessoa de Jesus.

Esta boa notícia, que é o próprio Jesus, não se diz boa porque nela não se encontra sofrimento, mas porque o próprio sofrimento é vivido num quadro mais amplo, como parte integrante do seu amor ao Pai e à humanidade. Em Cristo, Deus fez-Se solidário com toda a situação humana, revelando-nos que não estamos sozinhos, porque temos um Pai que nunca pode esquecer os seus filhos. «Não tenhas medo, que Eu estou contigo» (Is 43, 5): é a palavra consoladora de um Deus desde sempre envolvido na história do seu povo. No seu Filho amado, esta promessa de Deus – «Eu estou contigo» – assume toda a nossa fraqueza, chegando ao ponto de sofrer a nossa morte. N’Ele, as próprias trevas e a morte tornam-se lugar de comunhão com a Luz e a Vida. Nasce, assim, uma esperança acessível a todos, precisamente no lugar onde a vida conhece a amargura do falimento. Trata-se duma esperança que não dececiona, porque o amor de Deus foi derramado nos nossos corações (cf. Rm 5, 5) e faz germinar a vida nova, como a planta cresce da semente caída na terra. Visto sob esta luz, qualquer novo drama que aconteça na história do mundo torna-se cenário possível também duma boa notícia, uma vez que o amor consegue sempre encontrar o caminho da proximidade e suscitar corações capazes de se comover, rostos capazes de não se abater, mãos prontas a construir.

A confiança na semente do Reino

Para introduzir os seus discípulos e as multidões nesta mentalidade evangélica e entregar-lhes os «óculos» adequados para se aproximar da lógica do amor que morre e ressuscita, Jesus recorria às parábolas, nas quais muitas vezes se compara o Reino de Deus com a semente, cuja força vital irrompe precisamente quando morre na terra (cf. Mc 4, 1-34). O recurso a imagens e metáforas para comunicar a força humilde do Reino não é um modo de reduzir a sua importância e urgência, mas a forma misericordiosa que deixa, ao ouvinte, o «espaço» de liberdade para a acolher e aplicar também a si mesmo. Além disso, é o caminho privilegiado para expressar a dignidade imensa do mistério pascal, deixando que sejam as imagens – mais do que os conceitos – a comunicar a beleza paradoxal da vida nova em Cristo, onde as hostilidades e a cruz não anulam, mas realizam a salvação de Deus, onde a fraqueza é mais forte do que qualquer poder humano, onde o falimento pode ser o prelúdio da maior realização de tudo no amor. Na verdade, é precisamente assim que amadurece e se entranha a esperança do Reino de Deus, ou seja, «como um homem que lançou a semente à terra. Quer esteja a dormir, quer se levante, de noite e de dia, a semente germina e cresce» (Mc 4, 26-27).

O Reino de Deus já está no meio de nós, como uma semente escondida a um olhar superficial e cujo crescimento acontece no silêncio. Mas quem tem olhos, tornados limpos pelo Espírito Santo, consegue vê-lo germinar e não se deixa roubar a alegria do Reino por causa do joio sempre presente.

Os horizontes do Espírito

A esperança fundada na boa notícia que é Jesus faz-nos erguer os olhos e impele-nos a contemplá-Lo no quadro litúrgico da Festa da Ascensão. Aparentemente o Senhor afasta-Se de nós, quando na realidade são os horizontes da esperança que se alargam. Pois em Cristo, que eleva a nossa humanidade até ao Céu, cada homem e cada mulher consegue ter «plena liberdade para a entrada no santuário por meio do sangue de Jesus. Ele abriu para nós um caminho novo e vivo através do véu, isto é, da sua humanidade» (Heb 10, 19-20). Através «da força do Espírito Santo»,podemos ser «testemunhas»e comunicadores duma humanidade nova, redimida, «até aos confins da terra»(cf. At 1, 7-8).

A confiança na semente do Reino de Deus e na lógica da Páscoa não pode deixar de moldar também o nosso modo de comunicar. Tal confiança que nos torna capazes de atuar – nas mais variadas formas em que acontece hoje a comunicação – com a persuasão de que é possível enxergar e iluminar a boa notícia presente na realidade de cada história e no rosto de cada pessoa.

Quem, com fé, se deixa guiar pelo Espírito Santo, torna-se capaz de discernir em cada evento o que acontece entre Deus e a humanidade, reconhecendo como Ele mesmo, no cenário dramático deste mundo, esteja compondo a trama duma história de salvação. O fio, com que se tece esta história sagrada, é a esperança, e o seu tecedor só pode ser o Espírito Consolador. A esperança é a mais humilde das virtudes, porque permanece escondida nas pregas da vida, mas é semelhante ao fermento que faz levedar toda a massa. Alimentamo-la lendo sem cessar a Boa Notícia, aquele Evangelho que foi «reimpresso» em tantas edições nas vidas dos Santos, homens e mulheres que se tornaram ícones do amor de Deus. Também hoje é o Espírito que semeia em nós o desejo do Reino, através de muitos «canais» vivos, através das pessoas que se deixam conduzir pela Boa Notícia no meio do drama da história, tornando-se como que faróis na escuridão deste mundo, que iluminam a rota e abrem novas sendas de confiança e esperança.


Franciscus
Mais informações

26 de mai de 2017

Iª NOITE DA NOVENA - DIVINO ESPÍRITO SANTO - FESTA DE PENTECOSTES.



Já é tradição acontecer as novena em preparação para a Festa de Pentecostes na cidade de Juazeiro. Nesta primeira noite deste novenário, a celebração aconteceu na comunidade Santíssimo Redentor e foi presidida pela Ministra, Dona Perpétua. A comunidade do Santíssimo Redentor com muita alegria acolheu a bandeira do Divino, simbolo da festa, e a abriu a festa que se estende as nove noites de novena por toda a Paróquia.






Mais informações

28 de abr de 2017

MENSAGEM DA CNBB AOS TRABALHADORES (AS) DO BRASIL: “ENCORAJAMOS A ORGANIZAÇÃO DEMOCRÁTICA E MOBILIZAÇÕES PACÍFICAS”

AOS TRABALHADORES E TRABALHADORAS DO BRASIL


MENSAGEM DA CNBB

“Meu Pai trabalha sempre, portanto também eu trabalho” (Jo 5,17)

A Conferência Nacional dos Bispos do Brasil – CNBB, reunida, no Santuário Nacional de Nossa Senhora Aparecida – SP, em sua 55ª Assembleia Geral Ordinária, se une aos trabalhadores e às trabalhadoras, da cidade e do campo, por ocasião do dia 1º de maio. Brota do nosso coração de pastores um grito de solidariedade em defesa de seus direitos, particularmente dos 13 milhões de desempregados.

O trabalho é fundamental para a dignidade da pessoa, constitui uma dimensão da existência humana sobre a terra. Pelo trabalho, a pessoa participa da obra da criação, contribui para a construção de uma sociedade justa, tornando-se, assim, semelhante a Deus que trabalha sempre. O trabalhador não é mercadoria, por isso, não pode ser coisificado. Ele é sujeito e tem direito à justa remuneração, que não se mede apenas pelo custo da força de trabalho, mas também pelo direito à qualidade de vida digna.

Ao longo da nossa história, as lutas dos trabalhadores e trabalhadoras pela conquista de direitos contribuíram para a construção de uma nação com ideais republicanos e democráticos. O dia do trabalhador e da trabalhadora é celebrado, neste ano de 2017, em meio a um ataque sistemático e ostensivo aos direitos conquistados, precarizando as condições de vida, enfraquecendo o Estado e absolutizando o Mercado. Diante disso, dizemos não ao “conceito economicista da sociedade, que procura o lucro egoísta, fora dos parâmetros da justiça social” (Papa Francisco, Audiência Geral, 1º. de maio de 2013).

Nessa lógica perversa do mercado, os Poderes Executivo e Legislativo reduzem o dever do Estado de mediar a relação entre capital e trabalho, e de garantir a proteção social. Exemplos disso são os Projetos de Lei 4302/98 (Lei das Terceirizações) e 6787/16 (Reforma Trabalhista), bem como a Proposta de Emenda à Constituição 287/16 (Reforma da Previdência). É inaceitável que decisões de tamanha incidência na vida das pessoas e que retiram direitos já conquistados, sejam aprovadas no Congresso Nacional, sem um amplo diálogo com a sociedade.

Irmãos e irmãs, trabalhadores e trabalhadoras, diante da precarização, flexibilização das leis do trabalho e demais perdas oriundas das “reformas”, nossa palavra é de esperança e de fé: nenhum trabalhador sem direitos! Juntamente com a Terra e o Teto, o Trabalho é um direito sagrado, pelo qual vale a pena lutar (Cf. Papa Francisco, Discurso aos Movimentos Populares, 9 de julho de 2015).

Encorajamos a organização democrática e mobilizações pacíficas, em defesa da dignidade e dos direitos de todos os trabalhadores e trabalhadoras, com especial atenção aos mais pobres.

Por intercessão de São José Operário, invocamos a benção de Deus para cada trabalhador e trabalhadora e suas famílias.

Aparecida, 27 de abril de 2017.


Dom Sergio da Rocha
Arcebispo de Brasília
Presidente da CNBB

Dom Murilo Sebastião Ramos Krieger, SCJ
Arcebispo São Salvador da Bahia
Vice-Presidente da CNBB

Dom Leonardo Ulrich Steiner
Bispo Auxiliar de Brasília
Secretário-Geral da CNBB
Mais informações

24 de abr de 2017

PARÓQUIA NOSSA SENHORA DAS GROTAS (CATEDRAL - SANTUÁRIO) REALIZA VI ANO DA HORA DA GRAÇA NO PRÓXIMO SÁBADO (29).


“O Senhor fez em mim maravilhas”. Com esse tema, a Catedral-Santuário Nossa Senhora das Grotas, se prepara para celebrar no próximo sábado, dia 29 de abril,  o VI Ano da Hora da Graça, na Cidade de Juazeiro-BA. O momento de fé para os católicos acontecerá na casa de Eventos Via Show, às 19h30.

A Hora da Graça acontece todas as quintas-feiras na Catedral Diocesana, quando a comunidade se reúne para adorar Jesus no Santíssimo Sacramento, ao meio dia, onde as pessoas, revelam a forma mais expressiva de ouvir a palavra de Deus movidas pelo Espírito Santo.

Cada participante é convidado a levar 1 kg de alimento não perecível. Todo o material será distribuído para duas instituições sociais do Município.

Segundo o Pároco da Catedral, Pe. Josemar Mota, a Hora da Graça tem levado muitos jovens e adultos a  experimentarem a misericórdia de Deus. “É agradecendo pela presença do Senhor entre nós, que ele nos abençoa e nos fortalece na missão de sermos testemunhas do seu amor e misericórdia junto aos irmãos, principalmente os pobres e abandonados”, ressalta.

Ricardo Souza
Pastoral da Comunicação
Mais informações

ORDENAÇÃO PRESBITERAL DO PE. CÍCERO DIEGO


Na última sexta-feira (21), a Diocese de Juazeiro teve a alegria de ganhar mais um sacerdote. A Ordenação Presbiteral do agora Pe. Cícero Diego Monteiro aconteceu na Igreja matriz da Paróquia Nossa Senhora Aparecida, no bairro João Paulo II, em Juazeiro. A Celebração Eucarística de Ordenação foi presidida pelo Bispo diocesano Dom Beto Breis e concelebrada por vários padres. Muitos fiéis se fizeram presentes, lotando o maior templo da Diocese, para participar desse momento de festa para nossa Igreja local. Emoção e um forte clima de oração marcaram a cerimônia.
















 


 



Fotos: Geania Rocha
Mais informações

FESTA DA VIDA PROMOVE SOLIDARIEDADE EM JUAZEIRO



Fraternidade, alegria e muita vontade de trabalhar por um mundo mais solidário. Essas são algumas palavras que podem descrever um pouco do que foi a Festa da Vida, promovida neste domingo (23) pela Diocese de Juazeiro para dar visibilidade aos trabalhos desenvolvidos pelas Pastorais sociais da Igreja na defesa dos mais pobres.

















Fotos: Juliana Magalhães (CPT)
Leonardo Rodrigues (Pascom diocesana)
Mais informações