28 de abr de 2017

MENSAGEM DA CNBB AOS TRABALHADORES (AS) DO BRASIL: “ENCORAJAMOS A ORGANIZAÇÃO DEMOCRÁTICA E MOBILIZAÇÕES PACÍFICAS”

AOS TRABALHADORES E TRABALHADORAS DO BRASIL


MENSAGEM DA CNBB

“Meu Pai trabalha sempre, portanto também eu trabalho” (Jo 5,17)

A Conferência Nacional dos Bispos do Brasil – CNBB, reunida, no Santuário Nacional de Nossa Senhora Aparecida – SP, em sua 55ª Assembleia Geral Ordinária, se une aos trabalhadores e às trabalhadoras, da cidade e do campo, por ocasião do dia 1º de maio. Brota do nosso coração de pastores um grito de solidariedade em defesa de seus direitos, particularmente dos 13 milhões de desempregados.

O trabalho é fundamental para a dignidade da pessoa, constitui uma dimensão da existência humana sobre a terra. Pelo trabalho, a pessoa participa da obra da criação, contribui para a construção de uma sociedade justa, tornando-se, assim, semelhante a Deus que trabalha sempre. O trabalhador não é mercadoria, por isso, não pode ser coisificado. Ele é sujeito e tem direito à justa remuneração, que não se mede apenas pelo custo da força de trabalho, mas também pelo direito à qualidade de vida digna.

Ao longo da nossa história, as lutas dos trabalhadores e trabalhadoras pela conquista de direitos contribuíram para a construção de uma nação com ideais republicanos e democráticos. O dia do trabalhador e da trabalhadora é celebrado, neste ano de 2017, em meio a um ataque sistemático e ostensivo aos direitos conquistados, precarizando as condições de vida, enfraquecendo o Estado e absolutizando o Mercado. Diante disso, dizemos não ao “conceito economicista da sociedade, que procura o lucro egoísta, fora dos parâmetros da justiça social” (Papa Francisco, Audiência Geral, 1º. de maio de 2013).

Nessa lógica perversa do mercado, os Poderes Executivo e Legislativo reduzem o dever do Estado de mediar a relação entre capital e trabalho, e de garantir a proteção social. Exemplos disso são os Projetos de Lei 4302/98 (Lei das Terceirizações) e 6787/16 (Reforma Trabalhista), bem como a Proposta de Emenda à Constituição 287/16 (Reforma da Previdência). É inaceitável que decisões de tamanha incidência na vida das pessoas e que retiram direitos já conquistados, sejam aprovadas no Congresso Nacional, sem um amplo diálogo com a sociedade.

Irmãos e irmãs, trabalhadores e trabalhadoras, diante da precarização, flexibilização das leis do trabalho e demais perdas oriundas das “reformas”, nossa palavra é de esperança e de fé: nenhum trabalhador sem direitos! Juntamente com a Terra e o Teto, o Trabalho é um direito sagrado, pelo qual vale a pena lutar (Cf. Papa Francisco, Discurso aos Movimentos Populares, 9 de julho de 2015).

Encorajamos a organização democrática e mobilizações pacíficas, em defesa da dignidade e dos direitos de todos os trabalhadores e trabalhadoras, com especial atenção aos mais pobres.

Por intercessão de São José Operário, invocamos a benção de Deus para cada trabalhador e trabalhadora e suas famílias.

Aparecida, 27 de abril de 2017.


Dom Sergio da Rocha
Arcebispo de Brasília
Presidente da CNBB

Dom Murilo Sebastião Ramos Krieger, SCJ
Arcebispo São Salvador da Bahia
Vice-Presidente da CNBB

Dom Leonardo Ulrich Steiner
Bispo Auxiliar de Brasília
Secretário-Geral da CNBB
Mais informações

24 de abr de 2017

PARÓQUIA NOSSA SENHORA DAS GROTAS (CATEDRAL - SANTUÁRIO) REALIZA VI ANO DA HORA DA GRAÇA NO PRÓXIMO SÁBADO (29).


“O Senhor fez em mim maravilhas”. Com esse tema, a Catedral-Santuário Nossa Senhora das Grotas, se prepara para celebrar no próximo sábado, dia 29 de abril,  o VI Ano da Hora da Graça, na Cidade de Juazeiro-BA. O momento de fé para os católicos acontecerá na casa de Eventos Via Show, às 19h30.

A Hora da Graça acontece todas as quintas-feiras na Catedral Diocesana, quando a comunidade se reúne para adorar Jesus no Santíssimo Sacramento, ao meio dia, onde as pessoas, revelam a forma mais expressiva de ouvir a palavra de Deus movidas pelo Espírito Santo.

Cada participante é convidado a levar 1 kg de alimento não perecível. Todo o material será distribuído para duas instituições sociais do Município.

Segundo o Pároco da Catedral, Pe. Josemar Mota, a Hora da Graça tem levado muitos jovens e adultos a  experimentarem a misericórdia de Deus. “É agradecendo pela presença do Senhor entre nós, que ele nos abençoa e nos fortalece na missão de sermos testemunhas do seu amor e misericórdia junto aos irmãos, principalmente os pobres e abandonados”, ressalta.

Ricardo Souza
Pastoral da Comunicação
Mais informações

ORDENAÇÃO PRESBITERAL DO PE. CÍCERO DIEGO


Na última sexta-feira (21), a Diocese de Juazeiro teve a alegria de ganhar mais um sacerdote. A Ordenação Presbiteral do agora Pe. Cícero Diego Monteiro aconteceu na Igreja matriz da Paróquia Nossa Senhora Aparecida, no bairro João Paulo II, em Juazeiro. A Celebração Eucarística de Ordenação foi presidida pelo Bispo diocesano Dom Beto Breis e concelebrada por vários padres. Muitos fiéis se fizeram presentes, lotando o maior templo da Diocese, para participar desse momento de festa para nossa Igreja local. Emoção e um forte clima de oração marcaram a cerimônia.
















 


 



Fotos: Geania Rocha
Mais informações

FESTA DA VIDA PROMOVE SOLIDARIEDADE EM JUAZEIRO



Fraternidade, alegria e muita vontade de trabalhar por um mundo mais solidário. Essas são algumas palavras que podem descrever um pouco do que foi a Festa da Vida, promovida neste domingo (23) pela Diocese de Juazeiro para dar visibilidade aos trabalhos desenvolvidos pelas Pastorais sociais da Igreja na defesa dos mais pobres.

















Fotos: Juliana Magalhães (CPT)
Leonardo Rodrigues (Pascom diocesana)
Mais informações

17 de abr de 2017

DIOCESE DE JUAZEIRO PREPARA “FESTA DA VIDA” PARA PROMOVER AÇÕES SOCIAIS


Divulgar e promover o trabalho de quem se dedica à solidariedade. É esse o objetivo da Festa da Vida, organizada pela Diocese de Juazeiro, e programada para acontecer no próximo dia 23 de abril, domingo, a partir das 9h, na praça da Catedral. O evento será uma feira de exposição dos trabalhos das Pastorais sociais e outros organismos que atuam pela defesa e promoção da vida. Tendas temáticas e manifestações culturais fazem parte da programação. 

Para o Bispo de Juazeiro, Dom Beto Breis, a festa também será uma forma de fortalecer pastorais e grupos da Diocese que estão à serviço dos pobres e do cuidado com a criação. “Desde que cheguei aqui pude ver tantas iniciativas e ações que desvelam uma Igreja samaritana, atenta às angústias e às dores dos mais pobres e vulneráveis. Esse trabalho tem que ser conhecido e fortalecido. O serviço é uma das exigências da ação evangelizadora”, ressaltou.

A Comissão Pastoral da Terra (CPT), que atua junto a trabalhadores rurais da região, é uma das que estarão presentes na festa. “Muitas pessoas as vezes não conhecem ou não reconhecem o trabalho das pastorais sociais e de outros grupos realizado junto aos pobres. Para nós será muito bom pois dará visibilidade a essas ações diante da sociedade e da própria Igreja”, explicou Marina Rocha membro da CPT.

Marcada para começar com a celebração da Missa na Catedral, a Festa da Vida seguirá até as 15h. Na praça estarão expostas as barracas e tendas das pastorais e grupos, espaço de convivência, partilha e confraternização. Segundo Marina Rocha, quem quiser poderá ainda adquirir produtos que estarão à venda no local. “Teremos artesanato e também apresentações culturais, como o Samba de Veio, roda de são Gonçalo, cordel, poesias, teatro e alguns artistas que estarão presentes”, acrescentou.  

Texto: Mirrail Menezes
Mais informações

5 de abr de 2017

DOM BETO BREIS FARÁ CATEQUESE EM PREPARAÇÃO À SEMANA SANTA NA CATEDRAL


No próximo dia 08 de abril, sábado, o Bispo da Diocese de Juazeiro, Dom Beto Breis, fará uma Catequese sobre o "Mistério Pascal - Paixão, Morte e Ressurreição do Senhor", em preparação à Semana Santa. O momento formativo acontecerá na Catedral-Santuário N. Sra. das Grotas e é aberto a todas as pessoas que quiserem se preparar melhor para a Páscoa. 

A Catequese acontecerá a partir das 17h. Todas as paróquias, bem como pastorais, movimentos e grupos são convidados a enviar seus representantes para este momento de aprofundamento quaresmal e de convivência fraterna.


Pastoral da Comunicação
Diocese de Juazeiro

Mais informações

3 de abr de 2017

CATEDRAL SANTUÁRIO N. SRA. DAS GROTAS DIVULGA PROGRAMAÇÃO DA SEMANA SANTA.



Mais informações

QUINTA-FEIRA: MISSA DO CRISMA, DOS SANTOS ÓLEOS E DA UNIDADE.



Vivendo a preparação para a Páscoa do Senhor – ocasião em que celebramos os mistérios da Paixão, morte e Ressurreição de nosso Salvador –, Quinta-feira, chegaremos nos insere no âmago do Mistério pascal de Cristo.

De fato, nas "Igrejas Catedrais", temos a "Missa do Crisma" ou “Missa Crismal”, que se abençoam o óleo dos catecúmenos e dos enfermos e se consagra o Santo Crisma, daí, ser também chamada "Missa dos santos óleos".

Nesta celebração renovam-se as promessas sacerdotais pronunciadas pelos sacerdotes no dia de sua ordenação sacerdotal, sendo por isso mesmo também chamada de Missa da Unidade, expressando a comunhão diocesana em torno do mistério pascal de Cristo, constituindo um momento forte de comunhão eclesial, de participação intensa das comunidades e de valorização dos sacramentos da vida da Igreja, no qual se dar a importância desta celebração.
Mais informações

30 de mar de 2017

CNBB EMITE NOTA DA CNBB SOBRE A PEC 287/16 – “REFORMA DA PREVIDÊNCIA”

NOTA DA CNBB SOBRE A PEC 287/16 – “REFORMA DA PREVIDÊNCIA”
“Ai dos que fazem do direito uma amargura e a justiça jogam no chão”
(Amós 5,7)

O Conselho Permanente da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil-CNBB, reunido em Brasília-DF, dos dias 21 a 23 de março de 2017, em comunhão e solidariedade pastoral com o povo brasileiro, manifesta apreensão com relação à Proposta de Emenda à Constituição (PEC) 287/2016, de iniciativa do Poder Executivo, que tramita no Congresso Nacional.
O Art. 6º. da Constituição Federal de 1988 estabeleceu que a Previdência seja um Direito Social dos brasileiros e brasileiras. Não é uma concessão governamental ou um privilégio. Os Direitos Sociais no Brasil foram conquistados com intensa participação democrática; qualquer ameaça a eles merece imediato repúdio.
Abrangendo atualmente mais de 2/3 da população economicamente ativa, diante de um aumento da sua faixa etária e da diminuição do ingresso no mercado de trabalho, pode-se dizer que o sistema da Previdência precisa ser avaliado e, se necessário, posteriormente adequado à Seguridade Social.
Os números do Governo Federal que apresentam um déficit previdenciário são diversos dos números apresentados por outras instituições, inclusive ligadas ao próprio governo. Não é possível encaminhar solução de assunto tão complexo com informações inseguras, desencontradas e contraditórias. É preciso conhecer a real situação da Previdência Social no Brasil. Iniciativas que visem ao conhecimento dessa realidade devem ser valorizadas e adotadas, particularmente pelo Congresso Nacional, com o total envolvimento da sociedade.
O sistema da Previdência Social possui uma intrínseca matriz ética. Ele é criado para a proteção social de pessoas que, por vários motivos, ficam expostas à vulnerabilidade social (idade, enfermidades, acidentes, maternidade…), particularmente as mais pobres. Nenhuma solução para equilibrar um possível déficit pode prescindir de valores éticos-sociais e solidários. Na justificativa da PEC 287/2016 não existe nenhuma referência a esses valores, reduzindo a Previdência a uma questão econômica.
Buscando diminuir gastos previdenciários, a PEC 287/2016 “soluciona o problema”, excluindo da proteção social os que têm direito a benefícios. Ao propor uma idade única de 65 anos para homens e mulheres, do campo ou da cidade; ao acabar com a aposentadoria especial para trabalhadores rurais; ao comprometer a assistência aos segurados especiais (indígenas, quilombolas, pescadores…); ao reduzir o valor da pensão para viúvas ou viúvos; ao desvincular o salário mínimo como referência para o pagamento do Benefício de Prestação Continuada (BPC), a PEC 287/2016 escolhe o caminho da exclusão social.
A opção inclusiva que preserva direitos não é considerada na PEC. Faz-se necessário auditar a dívida pública, taxar rendimentos das instituições financeiras, rever a desoneração de exportação de commodities, identificar e cobrar os devedores da Previdência. Essas opções ajudariam a tornar realidade o Fundo de Reserva do Regime da Previdência Social – Emenda Constitucional 20/1998, que poderia provisionar recursos exclusivos para a Previdência.
O debate sobre a Previdência não pode ficar restrito a uma disputa ideológico-partidária, sujeito a influências de grupos dos mais diversos interesses. Quando isso acontece, quem perde sempre é a verdade. O diálogo sincero e fundamentado entre governo e sociedade deve ser buscado até à exaustão.
Às senhoras e aos senhores parlamentares, fazemos nossas as palavras do Papa Francisco: “A vossa difícil tarefa é contribuir a fim de que não faltem as subvenções indispensáveis para a subsistência dos trabalhadores desempregados e das suas famílias. Não falte entre as vossas prioridades uma atenção privilegiada para com o trabalho feminino, assim como a assistência à maternidade que sempre deve tutelar a vida que nasce e quem a serve quotidianamente. Tutelai as mulheres, o trabalho das mulheres! Nunca falte a garantia para a velhice, a enfermidade, os acidentes relacionados com o trabalho. Não falte o direito à aposentadoria, e sublinho: o direito — a aposentadoria é um direito! — porque disto é que se trata.”
Convocamos os cristãos e pessoas de boa vontade, particularmente nossas comunidades, a se mobilizarem ao redor da atual Reforma da Previdência, a fim de buscar o melhor para o nosso povo, principalmente os mais fragilizados.
Na celebração do Ano Mariano Nacional, confiamos o povo brasileiro à intercessão de Nossa Senhora Aparecida. Deus nos abençoe!
Brasília, 23 de março de 2017.
Cardeal Sergio da Rocha
Arcebispo de Brasília
Presidente da CNBB

Dom Murilo S. R. Krieger, SCJ
Arcebispo de São Salvador da Bahia
Vice-Presidente da CNBB

Dom Leonardo Ulrich Steiner, OFM
Bispo Auxiliar de Brasília
Secretário-Geral da CNBB
Mais informações

"VIDA SIM, DROGAS NÃO": DIOCESE PROMOVE CAPACITAÇÃO SOBRE PASTORAL DA SOBRIEDADE


Trabalhar na prevenção do uso de drogas e no resgate de pessoas que se tornaram dependentes químicos. Esse foi o objetivo do curso de capacitação sobre a Pastoral da Sobriedade, realizado no último final de semana, de 24 a 26 de março, no Centro de Treinamento de Líderes, em Carnaíba. 12 paróquias da nossa Diocese se fizeram presentes pelo envio de representantes.

Segundo Padre Raimundo Jorge, articulador do curso, a Pastoral da Sobriedade é um serviço realizado pela Igreja na defesa da vida de pessoas em situação de dependência. "Ela é um organismo da CNBB e já está presente em muitas dioceses. Em nossa Diocese, na última assembléia, em novembro, assumimos como uma prioridade a implantação desse serviço. Ela trabalha em vários âmbitos, um deles é a prevenção. Também apoia a pessoa no processo de libertação de suas dependências, não apenas das drogas, mas também de outras forças que podem deixar a pessoa presa, escravizada", relatou. 

Ainda de acordo com o padre, a Pastoral da Sobriedade é a porta aberta da Igreja para as pessoas que se encontram na angustia das drogas e que muitas vezes sofrem exclusão da sociedade e até mesmo das famílias. Além do trabalho com dependentes de drogas ilícitas como cocaína e maconha, a pastoral também pretende trabalhar o vício em drogas lícitas como álcool, cigarro, entre outras.


OUTRO ENCONTRO NO SEGUNDO SEMESTRE

"Várias paróquias se fizeram presentes no curso. Algumas enviaram uma equipe boa, com cinco ou seis pessoas. Outras enviaram três, dois ou apenas um representante. Mas para que a pastoral possa iniciar os trabalhos é preciso no mínimo uma equipe de quatro pessoas. Por isso teremos outro encontro no segundo semestre de 2017 a fim de ampliar a equipes e alcançar mais paróquias", disse o padre.

O trabalho da Pastoral da Sobriedade é realizado através de encontros semanais, orientados a partir do subsídio "Os 12 passos da Pastoral da Sobriedade". Cada semana é trabalhado um passo, em encontros que incluem oração, leitura do evangelho e partilha de vida. O trabalho é feito em sintonia com os grupos presentes em todo o Brasil, utilizando o mesmo subsídio para os encontros e através do envio de relatórios para o site nacional da Pastoral (http://www.sobriedade.org.br/). 

Mais informações